Quando você vira um dos “caras”

Imagem tirada do We ♥ it ;D

É engraçado como esse negócio de amizade funciona.

Com algum tempo de convivência em um bando de marmanjos você acaba se acostumando com eles e eles com você e é sobre isso o que eu vou falar no post de hoje (aliás, corro o risco de escrever três posts hoje), enfim…

Tudo começou quando eu assisti ao episódio 19 da segunda temporada de The Big Bang Theory. A Penny acaba sendo jogada para escanteio quando chega uma nova moradora em um dos apartamentos do prédio onde ela, Leonard e Sheldon moram. Ela faz de tudo para ser notada, mas não consegue.

O fato é: um dia você pode ter sido a melhor novidade na vida deles (ou não, dependendo muito da situação) e no outro você pode não passar de uma tosca comparação com um console ultrapassado, deixando espaço para que um novo e mais moderno possa ocupar um lugar melhor que o seu no momento.

E aí não importa o quanto você se arrume ou o quanto tente, qualquer outra garota que passe na rua vai chamar mais a atenção.

Não que isso seja um problema dos grandes. Quer dizer, você pode ficar mais à vontade na presença deles em vez de se preocupar se um deles vai notar que você não se senta como uma lady, ou que você tem a boca “mais suja que poleiro de pombo”, como diz minha mãe. E eles não vão ficar censurando todas as piadinhas deles, rindo de uma coisa que você não sabe, porque é uma piada totalmente interna (mas nessa parte, ainda vão existir piadas internas entre eles, porque ainda lhe falta algo, sabe como é…).

O ruim é se você acaba se apaixonando (ou tendo pelo menos uma quedinha) por um deles, porque provavelmente você vai estar na Friendzone. Ou, pior ainda, na “Familyzone”. (Pensa que você se apaixonou por um amigo – ou amiga. Quando vocês estão em uma conversa animada – ou não – a pessoa vai e solta: “você sabe que é como uma irmã(o) pra mim, não é?”; Fuuuuuuuuuuu).

Outra parte ruim é eles se darem conta, de repente, que voce é uma garota, porque usou um decote maior, ou um vestido (quando o usual é uma calça jeans qualquer). Como se o vestuário fosse mudar qualquer coisa (e ainda tem o fato de que, se você for uma pessoa tímida, a atenção que isso gera pro seu lado não é lá muito legal, não – o melhor é tentar evitar).

Mas de resto, ser um dos caras pode ser até melhor do que ser uma das meninas que ficam de fofoquinha no corredor entre as aulas, hahaha.

Acho que era isso o que eu tinha pra dizer. Se algum dia minha memória me deixar escrever um post que, quando eu terminar, possa pensar: “era exatamente isso!”, eu ficaria mais feliz. Mas não é o caso, ainda…

Anúncios

Bebê Nerd

Veja esse vídeo e diga se não é uma coisa muito fofa! E entende de jogos (xD).

E então? Acertou muitos desses personagens?

Até que eu acertei uma boa quantidade, mas acho que, no fim das contas, ela ganha de mim fácil, fácil ;P

* Vídeo encontrado no site NãoSalvo

Sobre aniversários…

Você desde que se entende por gente vê as pessoas comemorando aniversários como se fosse uma coisa legal para se festejar. Mas, qual o problema com as pessoas? Elas ficam velhas e estão fazendo festa por isso? Se ficassem mais novas eu entenderia perfeitamente…

Pois é.

Hm. Sábado foi meu aniversário e, esse ano, eu acabei pensando em várias coisas.

Eu ainda penso daquele jeito que foi exposto ali em cima, mas acho que existem mais coisas por trás dos aniversários.

Primeiro tem o fato de que você pode ter um motivo qualquer para festejar com os seus amigos, com a sua família e ainda por cima pode ganhar presentes (obrigadas pelos presentes, pessoas – as pessoas a quem essa mensagem se refere vão entender). Depois você fica mais velho, mais experiente. Isso não necessariamente é uma coisa ruim, porque ter alguma coisa mais de sabedoria é bem válido.

Você pode agradecer pela sua vida para as entidades religiosas em que você acredita. E agradecer por tudo o que aconteceu durante todos esses anos. Desde coisas boas a coisas ruins, porque elas podem ter ajudado a amadurecer um pouco, elas podem ter te fortalecido, ou podem apenas preveni-lo para que evite incorrer no mesmo erro (mas certas pessoas nunca aprendem).

Você pode sorrir e pensar que já pode fazer algumas coisas que antes você não podia, porque as pessoas diziam que você era novo demais para isso (Danielle quando eu fiz 18 anos: Yey! Já pode ser presa!… Mas você pode considerar “dirigir” também).

Depois você pode fazer o que quiser, pode dormir tarde, acordar tarde, comer o que quiser, sua mãe já não tem tanta influência assim sobre você. Você vai poder sair por aí para se divertir mais vezes e vai ter pessoas da sua idade para serem um grupo divertido de pessoas loucas (e bêbadas talvez). Você pode acreditar que é importante, ou, sei lá, pode realmente ser importante.

Pode acreditar também que pode fazer muitas cosias diferentes, pode tentar mudar o que você considera errado…

Não importa.

É bom sempre procurar o lado bom das coisas.

Com aniversários não poderia ser diferente.

=]

Nota de Esclarecimento e Agradecimentos

Eu sei que ando meio sumida e os últimos posts são praticamente nada comparados aos posts de maio, por exemplo. Tanto quando o assunto é qualidade quanto quantidade. Enfim.

Eu só venho tornar público o que me aconteceu de tão desanimador para que eu parasse de escrever descentemente nos últimos dois ou três meses… Bom, desde que viajei de férias, mais ou menos.

Então mês passado eu não parei para por ideias no papel, porque eu sempre preciso escrever tudo o que eu queria falar. Aparentemente eu não consigo funcionar se eu não tiver um plano de ação traçado… E esse mês o que me acontece? Eu passo por uma pseudo-crise de depressão, do tipo: “o que eu estou fazendo da minha vida? E o que eu vou fazer agora?”

Além disso, eu ainda tive outros problemas sentimentais como descobrir que eu provavelmente gosto de alguém de um modo absurdo e meio estúpido, coisa que eu detesto quando acontece, mas, aparentemente, não posso fazer nada quanto a isso…

Aí eu olhei o blog hoje e…

CA-RAM-BA!!! [!!]

Eu REALMENTE não poderia me sentir mais motivada a voltar escrever depois de ver que eu tive mais de Dez mil visitantes! Dez mil visitantes no meu blog idiota.

Quando eu comecei a escrever aqui, eu era só mais uma pessoa com um blog na vida, não esperava que alguém fosse lê-lo (como aconteceu com meus outros blogs) e ter mais de 10.000 visitas é realmente muito animador.

Então, eu já tive pelo menos umas três ou quatro ideias que eu espero ser suficiente para me animar ainda mais e, assim, voltar a ser o que eu e o ParaNerd – meu apelido carinho para o blog, tirado de ParaKiss, mas enfim – fomos antes…

Aliás, eu tenho tanta coisa que me motiva agora… Não as provas, porque amanhã eu tenho prova de Direito Constitucional, mas ainda não estudei o que é o mais importante – e o mais difícil também… Acho que vou ter que perturbar meu pai…

Então, eu queria finalizar essa babaquice que eu chamo de post com um super, ultra, power, max, mega, plus, advanced, platinum [!!] obrigada, só pelo simples fato de você eventualmente ter clicado aqui, mesmo que tenha achado o blog uma merda e nunca mais tenha voltado. Se você voltou e gostou, meu obrigado é ainda mais sincero e animado que o anterior…

E eu vou parar por aqui, porque eu tenho uma tendência a agradecer as pessoas em demasia quando é no mundo virtual…

Falando nisso, vou agradecer publicamente e tals à mãe da Lara – na verdade, eu vou agradecer à Lara e à família dela, por terem me tratado super-bem quando eu fui com eles para o interior nesse fim de semana. Eu não sou boa com as palavras ao vivo, principalmente quando envolve sentimentos… e eu meio que tenho esse sentimento de gratidão, enfim. É isso. Obrigada pelo pacote turístico para a Tejuçuoca, terra do bode. Hahah.

Aguardem-me ;]

Dia do Orgulho Nerd [Parte II]

Então eu volto hoje, pequenos padawans, depois do meu dia bontinho e feliz (não mesm0) para registrar impressões acerca do primeiro dia da toalha que eu “participo  consciente e ativamente”. Ano passado eu ainda era meio noob, apesar de já ser tão esquisita quanto atualmente e eu ainda não lia blogs para entender o que é o dia da toalha e do orgulho nerd.

Vou pular a parte em que eu simplesmente comento trivialidades para passarmos para a parte interessante (ou não). Primeiro de tudo eu queria dizer que me sinto uma vaca preguiçosa, porque, se não fosse pela minha constante preguiça, eu teria levado uma toalha para me acompanhar durante o dia. Mas para me redimir, fiz fotos assim que cheguei em casa:

Era uma boa ideia, que morreu por conta da minha preguiça...

Então, assim que eu cheguei à sala de aula, a Ana já estava lá e estranhou o fato de eu, Tici, Lara e Bruno termos chegados todos juntos, mas a questão é que estávamos lá em baixo olhando a Lara olhar uma revista de maquiagem (eu na verdade queria ver se encontrava um pó na mesma revista, mas acho meio inútil, sendo que eu não sei o número da cor do pó). Então (já na sala) começamos a falar sobre o dia e a desejar feliz dia da toalha/orgulho nerd para todos.

Depois veio a discussão sobre as funções da toalha, onde a Ana estava praticamente cuspindo algumas duzentas palavras por minuto, das quais eu não entendi nada, mas tinha muita coisa lá no meio. E se você desse sorte, sua toalha ainda serviria para lhe enxugar.

Enquanto isso, Lara balançava sua toalhinha como um sinal de que alguém ali sabia sobre o dia – porque, em vinte e cincos de maio, as pessoas sabem da existência de outros nerds através da toalha. Então o professor chegou e tivemos que parar com as conversa, porque era o professor de Direito Penal – que é muito ameaçador, quando quer.

Depois o Sid chegou, todos trocamos cumprimentos rápidos com o Soutaichou (General) e voltamos a prestar atenção na aula. E como ninguém da sala se pronunciava para responder as perguntas que o professor fazia, ele resolveu marcar uma prova relâmpago para, advinhem, depois de amanhã.

Na hora do intervalo, conversamos sobre o post Parte I, sobre o dia do orgulho nerd e sobre os direitos e deveres do nerds – que está no citado post. Bom, agora eu não lembro mais sobre o quê conversamos, já que minha memória não é das melhores, nem adianta eu tentar. A aula acabou muito tarde, já que o professor da segunda aula acha que pode chegar a hora que quiser e passar duas horas seguidas enrolando, enrolando e enrolando (mesmo que ele ainda ache que está passando o conteúdo de forma exemplar para nós). Quando eu consegui sair da aula, com algum medinho de o professor atacar de Drama Queen mais uma vez (a primeira vez foi muito ridícula, mesmo que eu não tenha visto), eu comi alguma porcaria e fui para a aula de francês, no sol fritante que “faz” por aqui, sendo que eu já estava atrasada.

Depois do francês, passei direto para a biblioteca e fui estudar, porque, né, vou ter uma prova horrível semana que vem (e eu não lembrava que a prova era na semana que vem). Mas eu ainda consegui ler o primeiro volume de Meru Puri, mangá da Matsuri Hino (que, aliás, é da Lara. Obrigada, moça! *-*). Por volta das três horas eu saí da biblioteca e fui para o inglês e, para minha total surpresa, eu encontrei DUAS meninas andando com toalhas nos braços. Duas Meninas que eu nem conheço. Foi muito legal, se formos considerar que não era nenhuma amiga minha, e eu não tinha encontrado mais ninguém com uma toalha além da Lara hoje.

Depois inglês, depois dois ônibus lotados e depois cheguei em casa, bati as minhas fotos e vim para cá, escrever esse post, que eu não deveria estar escrevendo… Estudar é importante, mas às vezes nós precisamos descansar. E eu estou realmente cansada, por mais que eu tenha sintetizado tudo o que eu fiz.

This is Fred. Fred is a Nerd-Frog...

Teve até espaço para fotos do Fred – os créditos do nome são todos da Ana. E fotos do Fred com a Esmeralda. Percebam a camisa xadrez do meu sapo nerd (LOL). E o ambiente verde é completamente previsível, já que eu simplesmente adoro verde. Nem deu pra perceber, certo?!

Esmeralda and Fred

Essas fotos todas são para compensar que euzinha aqui, não tenho uma foto com uma toalha, porque não consigo tirar fotos minhas e não tenho cratividade para fotos legais.

E tem também essa foto. Mais direto impossível:

Mas eu tenho uma foto que é como uma pequena vingança pessoal. Porque eu cansei de visitar alguns blogs nerds, em sua maioria feitos por homens, com fotos de garotas semi-nuas, com uma toalha. Afinal, nós, she-nerds, podemos ter garotos semi-nus com toalhas. Igualdade é isso aí. E como eu sou uma fangirl:

Dean e Sam Winchester... Ah, e as Toalhas...

Imagem que eu encontrei há algum tempo e já não sabia se teria alguma utilidade. Se não gostaram da brincadeira, paciência. Don’t Panic. Eu vou fazer um post hoje instrutivo e interessante. Uma lástima que vá ser a base de Ctrl+C; Ctrl+V. Enquanto isso, vamos aos intervalos comerciais. Ah, e bom fim de dia da toalha!

Sem mais.

Ps.: Só pra lembrar que o Dia da Toalha e o Dia do Orgulho Nerd são coisas completamente diferentes, feitas no mesmo dia. O primeiro começou em 2001 e o segundo em 2006. O problema é que os dois acontecem no mesmo dia… E qualquer nerd que goste de livros e tenha lido o Guia do Mochileiro  das galáxias (o que é praticamente uma redundância) entende os dois dias. É como se fôssemos fazer a festa de aniversário de duas pessoas na mesma hora e local. Uma festa conjunta…

Um lado “sombrio” de Zelda

Para marcar o fim de uma semana conturbada, apareço eu com uma imagem para descontrair… Muitos acham que Zelda é só mais um jogo idiota, enquanto isso, outros imaginam coisas completamente diferentes:

(Acho que, se você clicar, a imagem pode ficar maior #pensando#)

Eu simplesmente adorei essa imagem que eu achei no Nerd Maldito. Mostrou um lado mais doentio, sombrio e realista das coisas.

Sem mais, por ora.