25 de Maio

E aqui estamos nós de novo, mais um dia da toalha.

Muito conveniente desaparecer e só voltar a escrever algo em um dia tão… peculiar (o qual já teve até direito a “bombardeio” de toalha hoje).

Mas, voltando, meu objetivo com esse post hoje… Bom, ele não existe. Eu simplesmente quis escrever algo e aqui estou eu.

Sabem, é engraçado ver como as coisas estão se espalhando… Ou talvez eu apenas decobri como se pode descobrir coisas na internet – mas isso não importa. O negócio é, #OrgulhoNerd está nos TT’s – tive um susto quando vi.

Também vi várias menções ao Dia da Toalha e até promoções no Twitter (a “ideia” para esse post só nasceu mesmo, porque eu entrei no twitter e me deparei com isso tudo).

Eu já falei em ocasiões anteriores, com um pouco menos de maturidade e até mais fanatismo, sobre o que era ser nerd, já fiz um post inteiramente voltado para esse dia, acho que já devo ter comentado sobre o que está acontecendo e que muitos caracterizam como “ser nerd virou moda”.

Não lembro se coloquei os pretensos Direitos e Deveres dos nerds, tenho plena consciência de que esse é um post completamente inútil. Também não recordo se já falei sobre o preconceito com nerds de um modo geral – mas isso é uma coisa que acontece e sobre a qual provavelmente falarei um dia.

Sei que já coloquei uma imagem totalmente voltada para garotas que também merecem fotos de caras gatos usando toalhas – não é só os meninos que merecem. E não consigo pensar em mais nada legal para ser feito nesse blog com relação ao assunto.

Acredito que hoje só posso desejar:

E comentar que acho interessante olhar também pelo outro lado – e não só ver que existem milhares e milhares de nerds posers por aí. Acho que nesse dia do Orgulho Nerd (e também dia da toalha), desse ano, eu vou aproveitar para me orgulhar dos grandes nerds que se destacaram no cenário mundial e agradecer pela grande febre que isso gerou – apesar do lado negativo que muitos conhecem – já que, assim, pudemos ter muito mais contato com coisas consideradas integrantes da cultura nerd.

O fato de estar se popularizando ajuda, facilita as coisas.

E isso é que é o mais legal de tudo isso, eu acho. (“Pollyana feelings” – se não entendeu, procure pelo livro Pollyana, de Eleanor H. Porter)

Ok, vou parar com as filosofias baratas. Espero voltar em breve com posts mais úteis.

(E também vou agradecer pelo fato de o mundo não ter acabado dia 21 de maio…)

Anúncios

Dia do Orgulho Nerd [Parte II]

Então eu volto hoje, pequenos padawans, depois do meu dia bontinho e feliz (não mesm0) para registrar impressões acerca do primeiro dia da toalha que eu “participo  consciente e ativamente”. Ano passado eu ainda era meio noob, apesar de já ser tão esquisita quanto atualmente e eu ainda não lia blogs para entender o que é o dia da toalha e do orgulho nerd.

Vou pular a parte em que eu simplesmente comento trivialidades para passarmos para a parte interessante (ou não). Primeiro de tudo eu queria dizer que me sinto uma vaca preguiçosa, porque, se não fosse pela minha constante preguiça, eu teria levado uma toalha para me acompanhar durante o dia. Mas para me redimir, fiz fotos assim que cheguei em casa:

Era uma boa ideia, que morreu por conta da minha preguiça...

Então, assim que eu cheguei à sala de aula, a Ana já estava lá e estranhou o fato de eu, Tici, Lara e Bruno termos chegados todos juntos, mas a questão é que estávamos lá em baixo olhando a Lara olhar uma revista de maquiagem (eu na verdade queria ver se encontrava um pó na mesma revista, mas acho meio inútil, sendo que eu não sei o número da cor do pó). Então (já na sala) começamos a falar sobre o dia e a desejar feliz dia da toalha/orgulho nerd para todos.

Depois veio a discussão sobre as funções da toalha, onde a Ana estava praticamente cuspindo algumas duzentas palavras por minuto, das quais eu não entendi nada, mas tinha muita coisa lá no meio. E se você desse sorte, sua toalha ainda serviria para lhe enxugar.

Enquanto isso, Lara balançava sua toalhinha como um sinal de que alguém ali sabia sobre o dia – porque, em vinte e cincos de maio, as pessoas sabem da existência de outros nerds através da toalha. Então o professor chegou e tivemos que parar com as conversa, porque era o professor de Direito Penal – que é muito ameaçador, quando quer.

Depois o Sid chegou, todos trocamos cumprimentos rápidos com o Soutaichou (General) e voltamos a prestar atenção na aula. E como ninguém da sala se pronunciava para responder as perguntas que o professor fazia, ele resolveu marcar uma prova relâmpago para, advinhem, depois de amanhã.

Na hora do intervalo, conversamos sobre o post Parte I, sobre o dia do orgulho nerd e sobre os direitos e deveres do nerds – que está no citado post. Bom, agora eu não lembro mais sobre o quê conversamos, já que minha memória não é das melhores, nem adianta eu tentar. A aula acabou muito tarde, já que o professor da segunda aula acha que pode chegar a hora que quiser e passar duas horas seguidas enrolando, enrolando e enrolando (mesmo que ele ainda ache que está passando o conteúdo de forma exemplar para nós). Quando eu consegui sair da aula, com algum medinho de o professor atacar de Drama Queen mais uma vez (a primeira vez foi muito ridícula, mesmo que eu não tenha visto), eu comi alguma porcaria e fui para a aula de francês, no sol fritante que “faz” por aqui, sendo que eu já estava atrasada.

Depois do francês, passei direto para a biblioteca e fui estudar, porque, né, vou ter uma prova horrível semana que vem (e eu não lembrava que a prova era na semana que vem). Mas eu ainda consegui ler o primeiro volume de Meru Puri, mangá da Matsuri Hino (que, aliás, é da Lara. Obrigada, moça! *-*). Por volta das três horas eu saí da biblioteca e fui para o inglês e, para minha total surpresa, eu encontrei DUAS meninas andando com toalhas nos braços. Duas Meninas que eu nem conheço. Foi muito legal, se formos considerar que não era nenhuma amiga minha, e eu não tinha encontrado mais ninguém com uma toalha além da Lara hoje.

Depois inglês, depois dois ônibus lotados e depois cheguei em casa, bati as minhas fotos e vim para cá, escrever esse post, que eu não deveria estar escrevendo… Estudar é importante, mas às vezes nós precisamos descansar. E eu estou realmente cansada, por mais que eu tenha sintetizado tudo o que eu fiz.

This is Fred. Fred is a Nerd-Frog...

Teve até espaço para fotos do Fred – os créditos do nome são todos da Ana. E fotos do Fred com a Esmeralda. Percebam a camisa xadrez do meu sapo nerd (LOL). E o ambiente verde é completamente previsível, já que eu simplesmente adoro verde. Nem deu pra perceber, certo?!

Esmeralda and Fred

Essas fotos todas são para compensar que euzinha aqui, não tenho uma foto com uma toalha, porque não consigo tirar fotos minhas e não tenho cratividade para fotos legais.

E tem também essa foto. Mais direto impossível:

Mas eu tenho uma foto que é como uma pequena vingança pessoal. Porque eu cansei de visitar alguns blogs nerds, em sua maioria feitos por homens, com fotos de garotas semi-nuas, com uma toalha. Afinal, nós, she-nerds, podemos ter garotos semi-nus com toalhas. Igualdade é isso aí. E como eu sou uma fangirl:

Dean e Sam Winchester... Ah, e as Toalhas...

Imagem que eu encontrei há algum tempo e já não sabia se teria alguma utilidade. Se não gostaram da brincadeira, paciência. Don’t Panic. Eu vou fazer um post hoje instrutivo e interessante. Uma lástima que vá ser a base de Ctrl+C; Ctrl+V. Enquanto isso, vamos aos intervalos comerciais. Ah, e bom fim de dia da toalha!

Sem mais.

Ps.: Só pra lembrar que o Dia da Toalha e o Dia do Orgulho Nerd são coisas completamente diferentes, feitas no mesmo dia. O primeiro começou em 2001 e o segundo em 2006. O problema é que os dois acontecem no mesmo dia… E qualquer nerd que goste de livros e tenha lido o Guia do Mochileiro  das galáxias (o que é praticamente uma redundância) entende os dois dias. É como se fôssemos fazer a festa de aniversário de duas pessoas na mesma hora e local. Uma festa conjunta…